Hoje vou dar dicas de Fernando de Noronha, de onde acabei de voltar! Definitivamente é um destino que vale muito a pena, pois as paisagens são lindas!

Todos os visitantes são obrigados a pagar uma taxa ambiental no valor de R$ 68,74 por cada dia de permanência na ilha. Ela é paga no aeroporto assim que você sai do avião. Além desta taxa, tem uma outra de R$ 99,00 para brasileiros e R$ 198,00 para estrangeiros referente à entrada no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha. Esta taxa é única e é válida por 10 dias. Ao pagar, você recebe uma carteirinha com seu nome, a qual você tem que apresentar para entrar em praticamente todas as atrações da ilha.

Para se locomover, o ideal é que você alugue um buggy para ter liberdade de ir e vir, pois depender de transporte público pode ser complexo, já que o ônibus só passa de hora em hora e o táxi é bem caro. Nos dias que você tiver passeios agendados, sempre tem um transfer para ir e vir, e, dependendo de onde estiver hospedado, poderá fazer alguns passeios a pé. E, claro, você pode tentar uma caroninha, que é uma prática comum por lá.

Noronha é sempre quente e a média de sua temperatura fica na casa dos 28º. O que pode diferenciar é a questão das chuvas, cuja maior presença é entre março e julho, mas isso não significa chuva o tempo todo, relaxe, pois geralmente elas são bem passageiras e logo vem o sol. Eu peguei dois dias de chuva e depois dias de sol, mas o mar estava muito agitado e perigoso.

Pode parecer uma coisa óbvia, mas não custa frisar aqui: leve repelente e protetor solar. Existe na ilha um mosquitinho minúsculo e quase invisível, mas que pica com vontade.

No geral, você só vai usar roupas leves, ah e esqueça o salto alto: leve somente rasteirinhas ou tênis.

Atualmente, a maioria dos estabelecimentos aceita cartão, mas como a internet por lá é meio temperamental, acontece às vezes de a máquina não funcionar por causa dela. Então, na dúvida leve dinheiro vivo para uma situação como essa ou para lugares que ainda não aceitam. Se for deixar para tirar lá, saiba que só há agência do Bradesco e Santander, e um caixa eletrônico da rede 24 Horas no aeroporto.

As hospedagens em Noronha são caras, essa é a verdade incontestável. Os preços são muito mais altos quando comparados aos mesmos serviços oferecidos no continente, então não espere encontrar nada luxuoso se optar por pagar pelo básico – o básico de Noronha é simples mesmo! De toda forma, não desanime com esse pequeno banho de água fria. A boa notícia é que, mesmo sendo um destino conhecidamente caro, há todo tipo de hospedagem, desde pousadas luxuosas a pousadas domiciliares, que são fonte de renda dos nativos. Assim como em todas as cidades, os valores das pousadas variam ao longo do ano. Épocas de férias, como a segunda quinzena de dezembro e meses como janeiro, fevereiro, julho e agosto são alta temporada, sinônimo de serviços caros. Quem pensa em economizar pode ir nos meses de baixa temporada, como março, abril, maio (época de chuvas) ou outubro e novembro (época de seca).

noronha 12

noronha 20

Fiquei hospedada na conhecida Pousada Zé Maria! O dono, o famoso Zé Maria, é carismático, fica de prosa com os hóspedes e até pesca os peixes para o Festival Gastronômico da pousada – um evento fixo, às quartas e sábados, que reúne viajantes em um farto jantar. Participei do Festival Gastronômico na quarta-feira, amei a diversidade dos pratos servidos e super recomendo!

Com o Zé Maria nha noite do Festival Gastronômico

Com o Zé Maria na noite do Festival Gastronômico

noronha 10
As melhores acomodações são os bangalôs especiais – têm 84 m² e hidromassagem com vista para o Morro do Pico, símbolo da ilha. Foi nela em que me hospedei, a vista é sensacional!
Até da sustentabilidade ele participa: cuida da horta hidropônica, cujas verduras são servidas no restaurante e também instalou um sistema para captação da água da chuva e reciclagem de lixo.

noronha 16

noronha 19

noronha 29

Não deixe de ir no Restaurante Xica da Silva, o atendimento é excelente e a comida de qualidade, jantei lá duas noites e recomendo o camarão na moranga e a moqueca de peixe com camarão.

Moqueca de peixe com camarão

Moqueca de peixe com camarão

Camarão na moranga

Camarão na moranga

Pra quem quer desfrutar a noite em um lugar animado, vá ao Bar do Cachorro, rola um som agradável e algumas noites tem forró, só achei que o atendimento lá deixa a desejar. O Bar do Meio também é uma boa opção pra apreciar o por do sol, fica super badalado no fim de tarde, pois a localização é privilegiada. O ambiente é descolado e clean, tem drinks excelentes, vale a pena a visita!

Por do sol no Bar do Meio

Por do sol no Bar do Meio

noronha 25

noronha 27

E vá também no Mergulhão, debruçado no morrinho em frente a Praia do Porto, com vista privilegiada para o Morro do Pico em um ambiente com um clima super descontraído. O espaço é amplo, assim como as opções para desfrutar da linda vista e dos elaborados drinks. Espreguiçadeiras são posicionadas estrategicamente para que não se perca nenhum movimento dos barcos que vão e vem do porto. O Mergulhão é o lugar ideal para uma tarde com ótimas bebidas, para um pôr-do-sol romântico e exclusivo e para uma experiência gastronômica inesquecível, tudo isto enquanto se aprecia uma das melhores vistas de Fernando de Noronha.

No Mergulhão!

No Mergulhão!

noronha 9

O mar nas ilhas do arquipélago é cristalino, feito de um misto de tons esverdeados que, conforme aumentam de profundidade, oscilam entre tons de azul – uma mudança espetacular. As águas mantêm uma temperatura agradável durante todo o ano e são ótimas para mergulho, mesmo com snorkel. Ver diferentes cardumes nas praias, tartarugas e, às vezes, pequenos tubarões é o que os turistas mais esperam, e, sem precisar de muita sorte, alcançam. A diversidade da vida marinha em Noronha é tão surpreendente que você pode observar animais extraordinários no seu habitat natural. Eu não dei muita sorte porque dois dias foram de chuva e os outros dois de sol, mas o mar estava agitado e as embarcações proibidas de sair. As praias são lindas e vale a pena conhecer todas!

noronha 6

noronha 8

noronha 18

noronha 21

Bem, amei a viagem foi uma das melhores que já fiz, mesmo apesar de ter dias chuvosos. O ideal pra ficar em Noronha é de 5 a 6 dias no máximo, não mais do que isso! Fica a dica! Noronha é um lugar pra se encantar!

noronha 3

 

A dica de viagem é de um hotel super bacana que me hospedei em Maceió: o Jatiúca Resort. A vantagem dele é ser instalado dentro da cidade!

O resort fica no fim da orla da praia da Jatiúca. Saindo pelo portão você está no calçadão da praia do bairro, onde alguns quiosques também funcionam à noite.

O trecho em frente ao hotel é o único da orla central de Maceió sem avenida beira-mar. A praia foi reurbanizada, com a construção de um bonito calçadão com pistas para correr e andar de bicicleta. O mar é agitado!

O terreno do resort é grande e com lindos jardins; parte da Lagoa da Anta fica dentro da área do hotel. A recepção, a piscina e os dois blocos de apartamentos ficam atrás da lagoa. Uma bonita ponte coberta atravessa a lagoa e leva aos restaurantes, salão de jogos, sala de ginástica e praia. O hotel possui também apartamentos flat, com dois dormitórios, dois banheiros e sala, ideal pra quem viaja com a família.

resort

resort

Não deixe de visitar Pajuçara, nesse bairro ficam a Feira de Artesanato e bons restaurantes, há muito movimento na orla e de lá partem as jangadas para fazer passeios para as piscinas naturais.

artesanato

GQR Viagens de Carro - 2010

Pra quem aprecia uma boa gastronomia, indico o peruano WANCHAKO! O ambiente é uma mistura de simples e sofisticado. Super aconchegante e com o clima que imagino que o Peru tenha: colorido e alegre.

wanchako2

wanchako

 

 

0Comentários desativados

Eu adoro Miami e sempre que posso estou por lá! Estive no mês de julho para uma semaninha de férias, deu pra descansar e renovar as energias!

É um destino que os brasileiros amam, isso todo mundo já sabe. O que muita gente não sabe é o que Miami pode oferecer além das compras. A cidade tem um astral alegre, qualidade de vida, um clima agradável e é ótima para praticar atividades ao ar livre. Há muito para ver e fazer por lá, basta ter tempo disponível.

O hotel que sempre hospedo e indico, é o Fontainebleau Miami Beach, o mais tradicional e badalado da cidade, e considerado um dos melhores hotéis do mundo.

Na minha opinião, nenhum outro hotel na cidade se compara ao Fontainebleau em termos de beleza, conforto e estrutura disponível para os hóspedes! Toda a equipe do resort é maravilhosa e nos dispensa um tratamento especial, fazendo de tudo para que tenhamos a melhor estadia possível! É por isso que quando vou a Miami sempre faço questão de me hospedar lá, e não troco o Fontainebleau por nenhum outro!

hotel

hotel

hotel

hotel

hotel

hotel

Eu quando viajo gosto de desligar de tudo e não ter preocupações, por isso prefiro a comodidade de ter motorista! Uso os serviços de um motorista brasileiro que já me atende há muitos anos, ele se chama Sylvio, tem um carro enorme e mega confortável, com acesso à internet e ele é super pontual. Me busca e leva ao aeroporto, shoppings, restaurantes e passeios. Já deixo as datas agendadas com ele antes de viajar. Eu particularmente não gosto de pegar táxi em Miami, os carros em sua grande maioria são sujos, os motoristas falam ao celular o tempo inteiro de trajeto, e não têm muito cuidado ao trânsito, além da corrida não ficar barato, pois em Miami tudo fica distante! Alugar um carro é uma boa opção pra quem não quer pagar pelo motorista, mas como eu disse, gosto de ir pra descansar e desligar, sem ter preocupações com trajeto, estacionamento, devolução de veículo…
Para contactar o Sylvio basta enviar e-mail para: info@miami-sunset.net

hotel

Alugar uma bicicleta é uma das melhores maneiras de conhecer Miami Beach, em especial a região de South Beach. Estão espalhados por Miami diversos pontos de aluguel de bicicleta da empresa Deco Bike – você retira sua bike em um dos diversos terminais da cidade, faz o pagamento com o cartão de crédito e pode devolvê-la em qualquer terminal. A melhor pedida para um dia de sol é dar uma pedalada em South Beach.

hotel

Bal Harbour, interior fountains, tropical luxury retail

Fazer compras é, para muita gente, a principal atividade a ser feita em Miami, afinal, como resistir a preços tão camaradas? Mas com o dólar alto é preciso ter cuidado! Alguns produtos você compra pelo mesmo preço do Brasil e aqui ainda pode dividir no cartão! Recomendo ir ao Sawgrass e Dolphin Mall, os melhores lugares para quem procura preços mais em conta. Ainda vale muito a pena comprar por lá! Dê uma voltinha na Lincoln Road e no Dadeland Mall e Aventura Mall (na loja Bloomingdale´s achei vestidos Herve Leger e Just Cavalli por preços ótimos), e para compras de luxo visite o lindíssimo Bal Harbour Shops.

hotel

Explorar a gastronomia é uma parte importante da programação em Miami. A cidade tem ótimos restaurantes, desde os mais refinados aos mais simples. O New’s Cafe, que fica na Ocean Drive e tem uma vista bonita da via, funciona bem para qualquer hora do dia e tem o típico cardápio americano, com panquecas e waffles. Para comer um caranguejo que você nunca mais vai esquecer, a dica é ir ao Joe’s Stone Crab, um restaurante com mais de 100 anos. Eu nunca deixo de ir ao Carpaccio e no Cheesecake Factory. Um hambúrguer delicioso você encontrará no Shake Shack, que dispensa comentários, mas se você prefere restaurantes com um ambiente mais fino, vá ao italiano Casa Tua ou ao contemporâneo Juvia, com uma vista sensacional! Recomendo também o Hakkasan que fica dentro do Hotel Fontainebleau, e o badalado River Yacht Club! 

hotel

Nem só de baladas e compras vive Miami; a cidade tem vários museus e embora muita gente não pare para conhecer essa faceta da cidade, ela existe. Entre os museus bacanas para visitar estão o Viscaya, Pérez Art Museum, Bass Museum of Art ! O Memorial ao Holocausto, em Miami Beach, também vale um momento.

Passear no Wynwood Arts District é uma boa ideia para quando você quiser fazer um passeio diferente. O bairro, que antigamente era abandonado, ganhou diversas paredes grafitadas, galerias de arte e restaurantes. Nele fica o Wynwood Walls, um “museu” do grafite, com diversas paredes pintadas por diferentes artistas. Bem diferente e superlegal para tirar fotos!

Ir ao Vizcaya Museum and Gardens é um dos passeios mais legais a se fazer em Miami porque mistura a beleza da cidade à arquitetura europeia. Vizcaya foi planejada para ser a mansão de inverno de um magnata e hoje em dia é um museu, onde as pessoas podem conhecer os ricos detalhes da decoração do casarão e seus jardins bem cuidados. Como o lugar é realmente muito bonito e ainda fica de frente para Biscayne Bay, o museu é constantemente utilizado para ensaios fotográficos e casamentos.

hotel

Enfim, Miami é uma cidade de muitas e muitas opções, por fim não deixe de ir à praia! Mergulhar, caminhar na areia ou simplesmente admirar a cor azul-turquesa do mar é um programa imperdível em Miami. Em South Beach as areias fervem de gente, muitos jovens, e ficam até meio muvucadas para quem quer sossego, mas em North Beach e Surfside as praias são bem mais vazias, ótimas para relaxar. O Haulover Park é uma das melhores opções para curtir a praia, além de ser um local com boa estrutura e tranquilo, tem trechos da praia com água muito calminha e cristalina. As praias em Miami têm areia clara e em algumas áreas a faixa de areia até o mar é bem grande. A praia do hotel em que me hospedo também é calma e tranquila!

hotel